LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





17 de julho de 2009

VASTO


Quando a minha rota abriu-se para a tua,
e eu não sei onde, nem como, nem quando,
o que sei é que se abriu nova paisagem...
Na miragem que se fez em minha vida eu
bebi a água límpida de teu oásis de afeto,
brumas dissiparam-se em meus desertos
frios, em minha alma só.
E o meu interior ainda sequioso sobrevive
deste terno afã... tocar teu corpo, tocar
teu rosto, morrer de sede em teus lábios...
Itinerante, nômade de muitos rumos de
tantas estradas eu viajo em teu espírito
alado, esvoaçante.
Pulo dos mais altos montes, montanhas
desenhadas em azuis-turquesas, avisto
campos de verde-musgo com cheiro de
acácias, plano em tua cútis de rara beleza.
Mar aberto beijando meus lábios doridos
insurretos... dormentes... quero seguir tua
sinuosa trilha como sigo pelo cais das encantadas
viagens além-mar; lá no horizonte onde se perdem
as estrelas quero dormir-te de ponta a ponta,
luzente de prazer deixar-me por ti desvanecer...
Quero-te areia que se espraia pela praia dos meus
sonhos, suave brisa no entardecer dos meus atalhos,
luz morena a descansar meus olhos perdidos,
extasiados em teus labelos mornos.
Abro o peito, a alma, os sentidos para absorver
tua etéria e eterna luz... O teu sol refulgente
deslumbrou minha alma triste, agora só uma caminho
ilumina-se a minha frente, o teu coração vasto!...

Nenhum comentário: