LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




13 de abril de 2010

SALMO DÉCIMO NONO (Cacau Loureiro)


Quem és tu que se nomeou patrono de todas as
cousas e causas e não vês que dentre céus e
mares e afora, quem rege os ventos sou eu?!
Vide como o Altíssimo nos proveu de tudo?!
Olhe em volta, veja que tudo que tem origem
no divino é maravilhoso, perfeito e funciona
de forma natural, perpétua e sem máculas.
Vide insano homem que diante da Potência
que provém do alto tu és pequeníssimo, um
reles presunçoso, inoperante em suas limitadas
funções diante da máquina do mundo e do tempo?
Pequeno grão de areia és no fomento do Deus Eterno.
E tu que dizes conhecer-me, ainda não me mostrou
um átomo de que és meu filho, minha criatura.
Saiba que quando eu chamar-te à responsabilidade
serei severo, pois que fui eu que te soprei as palavras
nas narinas para te animar o espírito.
Por que gritas em meio à lama pelo socorro quando
a limpeza tem que começar de dentro de ti oh,
indigno homem que se esconde atrás da falsa humildade.
Não carregues o teu próximo no tropel de tuas paixões,
não vês que por ele também irás responder?!
Aplaca, pois, tuas vaidades e não alimentes o faminto
com a erva perniciosa da arrogância, matarás a ti
envenenando o outro.
O poder não promana dos homens, fadado está à
vergonha aquele que toma para si o “doloso mando”,
não gastes o meu erário às minhas próprias expensas,
dentre os homens só houve um que me foi fidedigno.
Como tomas na minha taça sem ser purificado quando
o teu sangue para mim não tem valia? O povo do Egito
marcou a tua fronte e por onde andares reconhecer-te-ão
e não te terão respeito, a tua fama corre ligeira como a
fome e não haverá lugar onde possas esconder-se diante
da tua própria iniqüidade.
Como ousas tomar o condão sem seres apontado como
honrado quando plantaste a dissensão entre os justos?!
Sabes que pagarás o preço da discórdia que germinaste,
porque nada passa abaixo dos meus olhos.
Filho fraco, este será o teu estigma dentro e fora das
fortalezas, pois que a acusação que carregas ecoará no
deserto em vibrações milenares.
Lembras do que já tirei de ti? Eu posso tirar mais, pois que
eu sou Deus para todo o sempre.
Já há muito não me ouves, seria o bastante para a tua
corrigenda, mas, agora não mais me vês, contudo, eu
não me escondi de ti, perdeste a sanidade e a referência
diante da cobiça e da cupidez, em troca de moedas.
Como dizes que és possuidor, quando tudo o que há na
Terra só tem um Criador?!
Enterraste a modéstia junto com tuas vítimas e tu
continuas com a degradação da tua raça.
A potestade do mal se apossou de tua alma e
anda ao teu lado e já te esconde nas sombras.
O que calcarás com a tua vara desonesta? O covil
das serpentes venenosas?
O lobo faminto anda á espreita e o Bom Pastor
só protegerá suas ovelhas desgarradas, não tu
oh, ímpio que pactuou com o maléfico.
Eu sou a luz, a verdade e a vida, quem de mim
escapará?

4 comentários:

C@urosa disse...

Olá minha querida e sensível amiga Cacau Loureiro, muito profundo e reflexivo, eu adorei:"Eu sou a luz, a verdade e a vida, quem de mim
escapará?" É definitivo!

PS:Adorei também as belas imagens fotográficas no mar da poesia, lindo.Parabéns.

paz e harmonia,

forte abraço,

C@urosa

ALİ EKBER ÇELİK disse...

claudia como vai você

humanidade
todos
tempo
se
envenenamento

ALİ EKBER ÇELİK disse...

mar
vista
e
você
mais
Você é linda

ValériaC disse...

Flor, que lindo seu Salmo...
Muito temos que refletir...nós, insignificantes grãos de areia, temos muito o que aprender e a crescer...para nos tornar mais dignos de sermos filhos de Deus... mas não desistamos, não é mesmo?
Beijos...