LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





2 de janeiro de 2010

COITADINHOS (Marcelo Mello)


Quem são os coitadinhos do mundo? Sejamos honestos, quem nunca se fez de ou se sentiu de verdade um coitadinho, que atire a primeira pedra.

Todos nós passamos por isso na vida e não é uma fase não, é algo pontual e muito, muito relativo mesmo. Podemos nos sentir fortes em uma situação e numa outra parecida podemos nos sentir coitadinhos master.

Pois é, isso em situações normais da vida e como disse, situações pontuais. Quem é que nunca chora ou chorou à toa nessa vida. Por outro lado, existem aqueles outros coitadinhos, aqueles que passam a vida lamuriando, choramingando pelos cantos…

Esses são os coitadinhos por natureza, diria que quase viciados, além disso, ainda tem um “porém”: Não fazem absolutamente nada para mudar a situação. Nada mesmo. Sobretudo, eles parecem amar sofrer e sentir pena de si mesmos.

Claro, reclamar é mais fácil, achar que o mundo conspira contra eles é quase a desculpa perfeita. Confesso que já tive momentos desses em minha vida como todo mundo, mas vou falar uma coisa… Uma vez, num desses momentos, parei, pensei e disse a mim mesmo, lá na frente do espelho:

- Cara, você é idiota, imbecil ou o que? Não percebe que ficar se lamentando, choramingando e achando que o mundo está contra você, é uma espécie de sonhar ao contrário?

Fiquei com essa pergunta na cabeça, normalmente a Terapia do Espelho faz isso com a gente, nossa imagem joga uma pergunta meio descabida e, com medo, saímos da frente do espelho. Foi o que aconteceu comigo. Apaguei a luz e saí correndo. Mas a pergunta ficou me atormentando, eu precisava achar uma resposta para aquela indagação esdrúxula.

Como assim… Sonhar ao contrário? O que significa isso?

Todos nós estamos aqui na Terra acreditando cegamente que vamos realizar tudo o que sonhamos. Isso é um desejo inerente a nós, seres humanos. Temos desejos, sonhos e estamos sempre buscando realizá-los. Aí vem a realidade e mostra que “as coisas não serão tão fáceis assim”. Ok, acho que todo mundo sabe disso.

Mas somos mimados, ou melhor, queremos ser e, como não conseguimos tudo o que desejamos, ficamos contrariados. Por sermos mimados e ficarmos contrariados, nos tornamos coitadinhos, desejando assim, que passem a mão em nossas cabeças.

Ora, em essência, todos sonham com coisas boas, desejamos ser diferentes, os melhores em tudo, enfim, queremos ser acima da média, bem sucedidos, realizados. Esse é o sonho original: Sermos bons em tudo.

Como não é possível, algumas pessoas naquelas situações pontuais entendem que entrar no personagem “coitadinho” é bacana, afinal, nada como ter por perto pessoas para passar a mão nas cabeças. Isso alguns de nós. Outros “alguns” preferem viver integralmente os personagens coitadinhos e levar a vida nessa toada. Amam um chicotinho para se auto-flagelarem. Brinco que conheço gente que tem em casa um baú cheio deles.

Vivem se culpando e também aos outros por tudo o que dá errado, às vezes culpam até alguma conspiração cósmica, choramingam sem parar e, repito, não fazem nada para sair dessa espiral descendente. Arrumam justificativas e acham que a vida é apenas e tão somente uma porcaria. Bom, a vida não é grande coisa mesmo, mas é fato que ela tem momentos ótimos que, invariavelmente, são construídos por nós mesmos.

O pior de tudo é que se acostumam tanto com essa vida que fica parecendo que sonham com ela, acabam achando que o melhor lema é algo como… “Já que nada dá certo, serei coitadinho porque alguém sempre vai cuidar de mim”. Isso mesmo, sonham ao contrário, abrem mão de tentar buscar a felicidade e desejam ser bichinhos.

Sabe o que é mais triste? Acabam encontrando gente disposta a cuidar mesmo. Entregam suas vidas nas mãos de outros e em vez de resolverem o problema, trocam o comandante. Leiam de novo: Trocam o comandante da própria vida! E mais, não percebem que o sentimento que mais e melhor despertam é… dó.

E depois disso tudo, alguns têm a coragem e a ousadia de afirmar categoricamente que são seres “bem resolvidos”.

Então tá, me engana que eu gosto…

* Marcelo Mello é Escritor, palestrante, consultor processual

Site: http://egosistema.wordpress.com/

Um comentário:

Clararipe disse...

Olá!
POr gentileza, sabe o contato de Marcelo Mello? O site que tem em seguida é só para quem é cadastrado
Estou querendo conhecer mais a profissão dele - consultor processual...
Meu e-mail: cla.araripe@gmail.com
Grata!