LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




2 de janeiro de 2010

COITADINHOS (Marcelo Mello)


Quem são os coitadinhos do mundo? Sejamos honestos, quem nunca se fez de ou se sentiu de verdade um coitadinho, que atire a primeira pedra.

Todos nós passamos por isso na vida e não é uma fase não, é algo pontual e muito, muito relativo mesmo. Podemos nos sentir fortes em uma situação e numa outra parecida podemos nos sentir coitadinhos master.

Pois é, isso em situações normais da vida e como disse, situações pontuais. Quem é que nunca chora ou chorou à toa nessa vida. Por outro lado, existem aqueles outros coitadinhos, aqueles que passam a vida lamuriando, choramingando pelos cantos…

Esses são os coitadinhos por natureza, diria que quase viciados, além disso, ainda tem um “porém”: Não fazem absolutamente nada para mudar a situação. Nada mesmo. Sobretudo, eles parecem amar sofrer e sentir pena de si mesmos.

Claro, reclamar é mais fácil, achar que o mundo conspira contra eles é quase a desculpa perfeita. Confesso que já tive momentos desses em minha vida como todo mundo, mas vou falar uma coisa… Uma vez, num desses momentos, parei, pensei e disse a mim mesmo, lá na frente do espelho:

- Cara, você é idiota, imbecil ou o que? Não percebe que ficar se lamentando, choramingando e achando que o mundo está contra você, é uma espécie de sonhar ao contrário?

Fiquei com essa pergunta na cabeça, normalmente a Terapia do Espelho faz isso com a gente, nossa imagem joga uma pergunta meio descabida e, com medo, saímos da frente do espelho. Foi o que aconteceu comigo. Apaguei a luz e saí correndo. Mas a pergunta ficou me atormentando, eu precisava achar uma resposta para aquela indagação esdrúxula.

Como assim… Sonhar ao contrário? O que significa isso?

Todos nós estamos aqui na Terra acreditando cegamente que vamos realizar tudo o que sonhamos. Isso é um desejo inerente a nós, seres humanos. Temos desejos, sonhos e estamos sempre buscando realizá-los. Aí vem a realidade e mostra que “as coisas não serão tão fáceis assim”. Ok, acho que todo mundo sabe disso.

Mas somos mimados, ou melhor, queremos ser e, como não conseguimos tudo o que desejamos, ficamos contrariados. Por sermos mimados e ficarmos contrariados, nos tornamos coitadinhos, desejando assim, que passem a mão em nossas cabeças.

Ora, em essência, todos sonham com coisas boas, desejamos ser diferentes, os melhores em tudo, enfim, queremos ser acima da média, bem sucedidos, realizados. Esse é o sonho original: Sermos bons em tudo.

Como não é possível, algumas pessoas naquelas situações pontuais entendem que entrar no personagem “coitadinho” é bacana, afinal, nada como ter por perto pessoas para passar a mão nas cabeças. Isso alguns de nós. Outros “alguns” preferem viver integralmente os personagens coitadinhos e levar a vida nessa toada. Amam um chicotinho para se auto-flagelarem. Brinco que conheço gente que tem em casa um baú cheio deles.

Vivem se culpando e também aos outros por tudo o que dá errado, às vezes culpam até alguma conspiração cósmica, choramingam sem parar e, repito, não fazem nada para sair dessa espiral descendente. Arrumam justificativas e acham que a vida é apenas e tão somente uma porcaria. Bom, a vida não é grande coisa mesmo, mas é fato que ela tem momentos ótimos que, invariavelmente, são construídos por nós mesmos.

O pior de tudo é que se acostumam tanto com essa vida que fica parecendo que sonham com ela, acabam achando que o melhor lema é algo como… “Já que nada dá certo, serei coitadinho porque alguém sempre vai cuidar de mim”. Isso mesmo, sonham ao contrário, abrem mão de tentar buscar a felicidade e desejam ser bichinhos.

Sabe o que é mais triste? Acabam encontrando gente disposta a cuidar mesmo. Entregam suas vidas nas mãos de outros e em vez de resolverem o problema, trocam o comandante. Leiam de novo: Trocam o comandante da própria vida! E mais, não percebem que o sentimento que mais e melhor despertam é… dó.

E depois disso tudo, alguns têm a coragem e a ousadia de afirmar categoricamente que são seres “bem resolvidos”.

Então tá, me engana que eu gosto…

* Marcelo Mello é Escritor, palestrante, consultor processual

Site: http://egosistema.wordpress.com/

Um comentário:

Clararipe disse...

Olá!
POr gentileza, sabe o contato de Marcelo Mello? O site que tem em seguida é só para quem é cadastrado
Estou querendo conhecer mais a profissão dele - consultor processual...
Meu e-mail: cla.araripe@gmail.com
Grata!