LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




3 de fevereiro de 2010

SALMO OITAVO (Cacau Loureiro)


Todas as vezes que desviei o meu andar do bom
caminho o Senhor resgatou-me. Porque também
os falsos lavam nossos pés com essências, adoçam
nossas bocas com o mel.
Ante as decepções humanas abati-me, mas roguei

ao Pai o auxílio, Ele pôs as mãos em meu coração
e disse: aquieta-te.
Assim esperei Nele, pois que foi o único cálice a

amparar minhas lágrimas, única lanterna para os
meus olhos cegos de rancores.
Diante do Altíssimo curvei-me, a mágoa a carcomer

o meu espírito combalido, mas dobrei-me a Divina
vontade, e Ele desceu sua mão sobre a minha cabeça
e trouxe o alívio as minhas inquietações.
A inveja humana é nefasta, o logro de suas palavras

mata feito cicuta.
E eu feito louco debrucei o meu tempo sobre o poço
das mordacidades e o tempo perdido não retorna.
Aqueles que matam a esperança movendo a
ampulheta pelas caladas é discípulo do maléfico,
porém o Imutável em sua ubiqüidade e onipresença
jamais deixa impune o traste humano, o embusteiro.
Portanto, ofertei a minha alma ao Senhor para
que me renovasse o espírito quebrantado, o meu

coração quase morto.
Quando vi diante de minha face o deserto de mil

olhos de cobiça e cupidez, eu clamei ao Deus Vivo
a sua misericórdia. Pois que o mundo é vão, os
homens passam e os bens terrenos enferrujam e
a alma torpe do vaidoso, do orgulhoso desce à cova
rasa onde os vermes alimentam-se a olhos vistos
e disputam com os abutres a carne fétida.
Quando me vi frente ao abismo eu roguei ao
Supremo que me cobrisse com o seu sagrado manto

e que me poupasse da derrocada, e O Pai apontou em
minha direção e disse: ninguém mais toca no meu
escolhido, e sua ordem foi reverenciada prontamente.
Ante todas as angústias eu nunca perdi a fé no meu

Libertador.
Ante as sombras das dores foram suas mãos que me

curaram; ante as armas dos inimigos foi seu cajado
que me salvou; diante das torturas da bem trajada
corja foi a sua verdade que me desembaraçou;
perante os falsos e os hipócritas foi a mim que o
Deus Vivo revelou-se.
Através dos tempos eu elevarei meus cânticos de
devoção aos céus onde habita o Eterno porque só
assim eu posso ofertar a minha alma com alegria e
humildade ao bondoso Deus da salvação.

3 comentários:

João Videira Santos disse...

Todas as palavras que consolem e sirvam de incentivo, serão sempre balsamo na esperança duma vida melhor...

ALİ EKBER ÇELİK disse...

escrito uma bela história

ValériaC disse...

Cacau querida... que Salmo mais lindo!!! Que não nos esqueçamos nunca de quanto nosso "Pai" é tão misericordioso... nos ampara...nos protege...nos ama a cada um de nós como seus filhos prediletos...e isso é motivo de muita alegria e muita paz para quem o busca sinceramente... Beijos amiga...