LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





17 de março de 2011

DESERTO E MAR (Cacau Loureiro)

Palavras doces, mãos suaves...
Como poderei dizer desta emoção?!
Apreendo meus pensamentos,
suspendo a respiração. Neste
instante sorvo tudo, todo o sol, o
teu calor, pois grande é a emoção
que me habita, que me cerca.
Não se assimila tudo de quem
domina sem amarrar, suporta
sem sufocar.
Sucumbo à sede...
Vejo-te ao longe... miragem no
meio de tanta areia... oásis para
um peito sequioso, faminta vou
ao teu encontro! Tu és fanal no
deserto dos meus desenganos.
Bebo em ti a poção que me
reanima, e muito mais... fluidos
vitais.
Quando te estendo as mãos...
Como dar a quem tanto tem?
És como calmaria no meu revolto
mar.
Seja o meu farol, a luz que aponta
o cais, a estrela guia, o porto seguro
onde eu possa atracar.


2 comentários:

Graça Pereira disse...

Ás vezes, é no deserto que nos encontramos e nos fortalecemos. Quando encontramos o caminho...partimos! Não angustiados e nem com receio de nada...Se encontrarmos o mar, teremos a certeza que há um porto de abrigo para nos acolher e um amor que, atravé do tempo soube esperar!
Beijocas
Graça

Bloguinho da Zizi disse...

Vou
Vou em busca de mim
na certeza que o caminho que trilho agora é muito melhor
do que aquele que trilhava antes de aqui chegar.
O que aprendi aqui
nenhuma escola me ensinaria
pois os mestres que tive
foram os melhores
e nenhuma faculdade pode pagar.

O meu coração vai cheio de graça
neste novo caminho.
Muitas ideias fui tecendo
muitas ideias fui trocando
enquanto tentava manter desperta a minha luz.

Me deitei neste divã que é a vida,
recebi muitas respostas às minhas perguntas.
Segui meu sexto sentido,
e até me perdi no Japão.

Permiti que minha alma ficasse zen.
Li versos de fogo
no vale do sol encantado.
E quando a vida dentro de mim se tornou possível,
abri a arca do auto conhecimento
e ali vivi momentos
e descobri a beleza
e a felicidade
como numa caixinha
de boa nova.

Tomei meu chá das 5,
lendo as notícias da cozinha e
sentindo o doce da filosofia.

Vi as sementes no canteiro
da quinta
mostrando a essência de cada flor e,
continuando assim
até fadinhas eu vi.

Vi o delírio de uma bruxa
num arco íris.

Senti o vento numa ilha e,
simples assim percebi
que penso, logo insisto.

Aprendi com alguém especial
que a vida tem a cor que a gente pinta
e que somos fractais,
pedaços do grande Todo.

Entrei na cova do urso,
frequentei a casa das virtudes,
naveguei no infinito
conheci o poeta louco
e
... foi desse jeito que ouvi dizer ...
entre olhares líricos,
que há pérolas nos
pensamentos.

Aqui encontrei os mentores de luz,
trabalhei a minha espiritual-idade,
andei por vários mundos
sentindo o aroma nosso de cada dia.

Debaixo da Luz da minha amada Mestra Kwan Yin
li livros e colhi flôres
e foi por aí que
descobri alguns pequenos barulhos internos.

Por isso vou...


Vou em busca de mim
na certeza que o caminho que trilho agora é muito melhor
do que aquele que trilhava antes de aqui chegar.
O que aprendi aqui
nenhuma escola me ensinaria
pois os mestres que tive
foram os melhores
e nenhuma faculdade pode pagar.