LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





4 de março de 2011

VAZÃO (Cacau Loureiro)


Eu escondo o meu estro insurreto dos
flashes do mundo sob pedras pesadas...
Há um ranço de tristeza permeando os
verbos que regem a vida das palavras.
A morbidez dos ritmos impera na toante
da existência que passa apressada.
Ao longe uma canção maviosa e solitária
dos pássaros que ficaram para trás no
inverno das almas condenadas.
No ocaso acinzentado há nuvens que anunciam
as sombras da noite em métricas assustadas.
As manhãs me chegam num tempo que se
prolonga em meu peito e o faz arder, e o faz
padecer, e o faz expiar em copiosas lágrimas.
Há uma nova aurora perdida no labirinto dos
sonhos, há as estrelas que já não consigo
avistar entre as elevadas vagas... e há as
areias que estão a voar com o vento e fazem
o meu tempo escorrer pelas mãos...

2 comentários:

helena disse...

Quem escreve constrói um castelo;
E quem lê passa a Habitá-lo...
beijo meu
helena

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema lindo...e sim o tempo escirre esntre os dedos...quando damos por ele, já passou e ficou tanta coisa por fazer.

Beijinho com carinho
Sonhadora