LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





13 de setembro de 2013

NÉCTAR (Cacau Loureiro)

Conhecer-te...
Em passado, em presente, em futuro.
Ter minhas mãos entrelaçadas nas tuas e
caminhar em retas e curvas, nessas ruas
profusas de nós... dos desejos nossos.
Relembrar-te no início, dos suspiros
primevos, entre abraços e beijos, pernas
fortes, ancas lisas, costas nuas, fortes laços.
E deitar em lençóis com o teu cheiro e tecer
os meus versos, nada em tons de cinza,
só filós e carmins... nossos corpos deixados
assim, amarrados em sussurros, em vermelho
dos lábios.
Retomar-te em dias a mil passados, tantas
horas, tontos jeitos, sem demoras ou marcos,
e remarcar o teu corpo, sem limites ou pedaços.
Descansar em teu peito, no teu doce jeito de
tocar os meus seios, os néctares da vida e da
alma em fruto aberto, bebida dos deuses em
pura arte de amar...
Revolver-te em paixão do ontem e do agora,
Do amor que doravante haverá de ser e já é
para sempre...

Um comentário:

Adh2bs disse...

Puxa...!
Que saudades das poesias profundas, dos trens de ferro e do amor em versos!
Grande abraço,
Adh2bs