LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





29 de maio de 2011

ARDOR (Cacau Loureiro)

Jamais esquecerei este outono...

Na névoa da manhã o teu sorriso como
sol desperta-me para o clarão do dia;

vida a adentrar minha alma aberta, a
brindar meus olhos encantados...

Neste frio que me abraça, o teu halo
de calor refaz-me o espírito, faz-me
arrebatadamente liberta.

Não há dor quando o teu bálsamo é como
precipitação das chuvas a amansar a pele
térmica... solo abrasivo das paixões...
Acalma-me, pois, o peito com tuas mãos ternas,
faz-me eterna na dança das maiores emoções!

O ritmo da vida é harmoniosa canção quando
decifro as notas do teu coração pleno, da tua
expansiva aura.

Não há o que me detenha quando o teu ardor
levanta-me em entusiasmo, o teu aroma acorda-me
em louvores e o teu existir revigora-me em amor!...

Um comentário:

Adriano César Curado disse...

Adoro poesia e gostei muito da sua sensibilidade, que nos conduz na névoa da manhã, através da luz de um sorriso. Meus parabéns.