LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





7 de dezembro de 2010

DÍSPAR (Cacau Loureiro)

Primavera e crepúsculo invadem minha janela...
Há flores que renascem em qualquer estação e como
um monumento à vida elas cingem o caminho de cores
como cânticos ao Criador.
Há no ar da tarde que inspiro o cheiro das pétalas tenras
de tua madura mocidade, porque jovial são teus braços
que me acolhem em manhãs morenas, como teus lábios
adocicados que me amenizam a pele em chamas...
Queria te dar tudo o que tu mesmo em mim proliferas,
porque adentras em minha alma sem restrições, assim
como pistilos ao vento dos litorais mais bonitos.
Há no âmago esta vontade que não cessa e irriga-me
todos os poros, todas as minhas sutis vielas, sensações
e pensamentos.
Há um ir e vir de tudo que há em ti e que corre como
criança sem controle dentro de mim... É como viver no
outro, intrínseco, sutilmente amalgamado e no entanto,
tão díspar.
Ah! Eu desejo o teu fértil jardim em que plantas belas
flores aromáticas, éden abissal dos teus encantos...
Eu anseio o rio caudaloso imerso de ti que já vive em mim
sem meandros.
Por hora, recebo esta tarde que morre lentamente em meu
peito, saudade que não passa, desejo do contínuo deleite
das horas vespertinas que só pertencem a ti...

3 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um texto muito belo...queremos sempre manhãs luminosas e tardes serenas.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Passando para te desejar uma bela quarta-feira e dizer que adorei o texto, profundo e muito bem coordenado.

beijos,

Furtado.

Marcelo Novaes disse...

Cacau,



Ambiente e ambiências em confluência. Como no crepúsculo. Não tão díspar...



:)





Um beijo.