LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




22 de julho de 2013

VITAL (Cacau Loureiro)


Agitam-se as altas esferas,
diminutas partículas de luz
espraiam-se sobre a Terra...
O ir e vir do princípio vital
impulsiona o entusiasmo
entre os seres.
No orbe celeste a preparação
dos fluidos do bem desanuvia
as mentes dos aflitos, encorajam
os espíritos sofridos.
A paz é a verdadeira terra prometida,
e o amor a sementeira da infinita
bondade.
Cinzelando o Homem engendramos
o caminho da regeneração.
A autêntica liberdade é olhar o
outro como irmão.
O sal da terra, o suor e as lágrimas
são imperativos da alma, contínuo
movimento para a interior edificação.
O trabalho nos espera e soergue-nos
em seara que não tem senhores,
pois que senhor de si mesmo é
aquele que se eleva em saber dar
e purifica-se em receber.

DILETO (Cacau Loureiro)



Nesta quente manhã de inverno
tropical eu elevo meus olhos, pois
minha alma entoa um hino de gratidão.
A salvação está no amor porque saber
amar é benção, é unção, é dádiva.
Em tuas estendidas mãos eu repouso
minha fronte na confiança e na fé de
que dias melhores virão.
Eu sou para ti e por ti, e não há
como ser sem ti...
E sinto-te como átomo vibrante
em infinitesimal partícula de mim.
A canção que me acompanha também
me guia, pois que sua letra forjada
foi em perseverança. Em cifras de todos
os afeitos afetos edificou-se.
A canção que vai comigo neste caminho
de flores e de pedras não seria tão
bonita se não fosse ritmada por ti! ... 

21 de julho de 2013

LÓTUS (Cacau Loureiro)



Não fechemos os olhos para as claridades
do mundo... Tudo engana e mente para
que esmoreçamos.
O exercício da fé vem com esforço e
disciplina, não há templos nem exércitos
que a edifiquem em nós mais do que nós
mesmos. Sigamos adiante para a vida
futura a partir do hoje, pois que ontem já
foi regeneração.
Que as estações do tempo, a cada parada
nos rumem para o entusiasmo que renova
porque toda transformação virá somente
através do eu para com o outro, do nós.
Que nossos olhos possam ver além de nós
mesmos para que compreendamos que o
bem que plantamos floresce em nossos
espíritos como a flor da iluminação.
Creiamos na força divina que nos move e
nos impulsiona para a tarefa edificante de
construirmos um mundo melhor nas esferas
da dignidade.
Que as lágrimas que deixamos pelo caminho
possam nos recolher à humildade que liberta,
e que aquilo e aqueles que nos deixaram ou
perdemos sejam os lenços brancos que a vida
nos acena prenunciando que os destinos de
alguma forma nos retornam como batismo de
fogo que nos rumará para a felicidade.