LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




16 de outubro de 2013

AÇUCENA (Cacau Loureiro)


Doçura açucenal tem os teus lábios
capitosos...
Como não delibar supra bebida que
promana do teu peito ardoroso?!
És perfume preparado em primaveril
claridade, aconchego balsâmico para
todas as minhas dores,
Como posso abnegar tal sortilégio?
Destino caprichoso a encher-me a
alma farta com o doce dos teus olhos
langorosos, a mostrar-me estrada extensa
nos teus braços de premissas.
Quero repousar o meu olhar no teu... Poço
profundo de candidez inefável e infinita.
Quero me achar neste lirial de promessas
que tremula em minhas células rútilas e
que vibra em minha essência entusiasmada.
Flor rósea suavizante e perfumada que
germinou no meu jardim de deleites.
Hei de tocar-te o semblante como óleo
essencial que te desperta para a vida...
Esta bela face que se “acende em
carminação ardente dos frutos tropicais.”
Em mim és lírio gracioso...
És açucena-branca...
Nada mais!?...

15 de outubro de 2013

ALQUIMISTA (Cacau Loureiro)
















Não recrimines o meu jeito de ser, tu

não entenderias as razões...

Mas, não peço para ti entendimento,

compreensão, apenas desejo estes

pequenos momentos de ilusão...

... tua voz, a leve lembrança do teu

rosto. Queria eu poder sentir todo este 

gosto... tão mágico, misterioso, secreto.

Já te disse de toda esta comoção que 

me apossa o espírito, o coração.

Aguardo a hora certa da descoberta,

mas, o momento agora é do experimento.

Contudo, não me julgues a emoção, não

dilaceres os alicerces de minha invenção.

Formulo, busco, provo, crio...

Nesta alquimia que transcende o meu corpo,

também, o meu espírito, transformo-me em fogo,

em sangue, em aço, e em lágrimas desfaço-me.

Não quero compaixão, meus sentimentos são o

resultado da formula de amores, ódios, paixões.

Eu insisto, eu quero meu experimento, intenso,

denso, vivo, eu quero alcançar o meu objetivo:

mistificar-te em minhas andanças, caminhos.

Quiçá, encontrarei o quinto elemento que te

transformaria em água, terra, fogo e ouro,

na alquimia do meu abraço caloroso.

9 de outubro de 2013

ONDA LIVRE (Cacau Loureiro)





















Eu ouço música no ar...
Danço ao teu som melodioso e viajo
nas tuas ondas sonoras para te cifrar.
O teu receptivo sorriso, o teu afável
olhar... perderam-se em mim!...
Como agora ultrapassar a espera
sem me revelar em cada letra da
poesia viva que te principia em
meu âmago hoje carmim?!...
Viver no vão deste momento
extasiante e enlevado é descortinar
dia após dia o teu universo encantador.
Depois da dor a calmaria ao imergir
no teu mundo de águas tranqüilas...
Ao teu ritmo doce eu dispo-me das
tolas fatuidades.
Meu corpo, minha alma e o meu coração,
nas ondas livres da emoção, do desejo e
da paixão ao teu encontro vão!...