LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"À força de tanto ler e imaginar, fui me distanciando da realidade ao ponto de já não poder distinguir em que dimensão vivo" (Dom Quixote)

Seguidores

REFLEXÃO

“Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.” (Simone de Beauvoir)





14 de fevereiro de 2012

SONDA-ME (Cacau Loureiro)

Sonda-me a alma Senhor, porquanto a seta
dos ímpios corta minhas sendas.
Coloca, pois, tuas sentinelas ante minhas
janelas e portas para que eu preserve teu
santo nome perante os dissimulados, porque
eles não têm misericórdia.
Prepara ó Pai o meu banquete.
Faça-me teu soldado, revista-me de força
e coragem para que eu não permita que eles
tomem o meu coração de assalto.
A ignorância dos covardes é tremenda, mas,
a minha hora não é esta, uma vez que ainda
verei a tua espada resplandecer na justiça.
Valha-me ò Deus nesta batalha que ora me
parece interminável... Quando virá teu refrigério?!
Cessa-me o pranto ó Senhor de benignidade,
esconda-me sob tuas asas quando me espreitam
os iníquos.
Lava-me no sangue do Teu Cordeiro para que
a minha alma não pereça, desanuvia minhas vistas.
Que os olhos de brandura do Mestre Amado cicatrizem
minhas chagas, que as suas mãos milagrosas guiem
meus passos na certeza e meus atos na sabedoria.
Que a sua infinita misericórdia restaure minha fé
na tribulação que antevejo.
Que os anjos do Senhor guiem-me, amparem-me
para que este humilde filho não sucumba ante
os escarnecedores.
Depositei minha alma nos braços do Grande Pai
porque somente Ele é amor e poder eternos.
Amém!...

9 de fevereiro de 2012

LAVRADIO (Cacau Loureiro)


Alguns duvidam pelo que veem, que Deus é conosco...

Ainda que angustiados os nossos corações, Suas
promessas movem-nos e o seu amor consola-nos.

Neste mundo visões do mal estão em toda parte,
porque não somos obedientes porque os que

trabalham para o bem são perseguidos.
Mas, a centelha do Criador vive em nós, e mesmo

na sombra que vivemos, nós reavivamos a Sua luz, e
 vivemos no redivivo Filho do Homem para que Ele

cinja-nos a fronte com sua benignidade e mansidão.

Ao Pai de misericórdia coloquemo-nos com humildade,
sabendo que o seu tempo não é nosso.

E assim confiemos, creiamos no impossível porque
o impossível não se vê.

Descansemos, pois, à sombra Daquele que é Excelsa Luz,
maior amor, onipotente espada.

Na amargura, renovemo-nos em Seu imaculado sangue,
no desespero, remocemo-nos em Suas boas novas,

na solidão, corrijamo-nos para o bom futuro.
Lábios francos e honestos não beijam a outra face

com traição, não há sabor mais amargo que o
da vingança. Esperemos no Senhor posto que

é estreita a sua porta e vastos são Seus campos
onde só germinam frutos bons.

2 de fevereiro de 2012

REVELAR (Cacau Loureiro)

As flores do teu caminho permanecem em mim...

Pois que não há nada que me faça confluir

à inspiração senão pelo que vem de ti.

Entorno pérolas aos teus pés porque sei
que há raridade em tua existência, vida

que é bem-vinda em mim.
Não há palavras quando o meu silêncio é

comoção de sentimentos, poema que não

descreve rimas, mas, traduz tuas benesses

em ternas orações, em dileções e preces.

O mundo é um privilégio, sortilégio é encontrar-te

e ter-te em íntimo trato... entrelaçadas mãos

de maior afeto, benfazejo toque.

Enigmas vários há neste universo, perguntas

sem respostas, segredos da Criação.

A Mãe Excelsa e a terra fértil te bendigam!...

Em teus olhos, em tuas mãos, em teu abraço,

não há incógnitas para maior e generoso amor...

1 de fevereiro de 2012

CONFIANÇA (Cacau Loureiro)

Colori meu coração com esperança...
Na dança do mundo onde a ilusão faz a
festa eu sigo acordes mais mansos.
Neste dia de sol, alísios elevam as aves ao
céu e enfeitam meu espírito com mansidão.
Volto-me ao passado, não mais as ladeiras
do pretérito comovem ou cansam-me o eixo.
Meu tempo é de alegria e de fôlego tranquilo.
Aprendi que a justiça dos homens falha, mas
que o Supremo Criador dá conta de tudo e de
todos, porque o tempo de Deus não nos pertence
e que homens em altares nada valem.
Movo-me no mundo pela fé, movo-me pelo
invisível, movo-me porque sei que a certeza
que possuo é indestrutível...