LÍRICOS OLHARES

LÍRICOS OLHARES

PENSAMENTO DO DIA

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

Seguidores

REFLEXÃO

"Por mais que se mantêm em consideração as circunstâncias do tempo, do lugar, do gênio do povo, dos seus conhecimentos, de suas inclinações, falham os cálculos, desmoronam-se os edifícios, inutilizam-se os trabalhos e só se colhe o conhecimento de que não se acertou e que o coração do homem é um abismo insondável, e um mistério que se não pode entender". (Frei Caneca)




9 de janeiro de 2012

LAÇOS DE AFETO (Cacau Loureiro)

Belo amanhecer, pois há uma luz a brilhar
nalgum lugar...
Só olhando para o alto constatamos que o céu
é azul e que há pássaros que sobrevoam
nossas cabeças num ir e vir de renovação.
Há cânticos por todos os lados, bálsamos do
Criador a curar nossas feridas.
Eu enxergo, eu verdadeiramente vejo quão
pequenos grãos de areia somos neste imenso
mar de vida!...
Sentidos aguçados também trazem sofrimento,
porque a olhos vistos os homens se degeneram
na intolerância, no desprezo e na ambição.
Desmedido descaso extermina laços de afeto,
preciso é que cresçamos no outro em entendimento,
mas, onde há pedras não germinam boas sementes.
Para o bem só há um verbo, ação.
Somente os fortes sabem sobre amar...
Quisera eu poder entender, no entanto, choro.
Quisera eu poder entender, no entanto, oro.
Quisera eu poder entender, no entanto, vivo.
Quisera eu poder entender, no entanto, amo!...

2 de janeiro de 2012

ABJUGADA (Cacau Loureiro)

Anos a fio peregrinei sozinha e minha voz solitária
fez-se pranto nas trincheiras do egoísmo.
Perguntei aos céus por que eu? Aos anjos indaguei
o que querem de mim?
Em muitos lugares respostas ocultas...
Onde se recolheram minhas preces, perderam-se
minhas orações?!
O mar dos homens é sinistro, correntezas vem e vão.
A dor calcina, assim como o fogo cristaliza as feridas,
mas, nada, nada é eterno neste mundo vão.
Recolho minhas forças no caos, mas os anos perdidos
no discurso do esquecimento impulsionam-me adiante.
Homens surdos, loucos, covardemente mudos...
Onde permanece a morte infame também resplandece a vida,
porque na natureza não há permuta, há sim a transformação
contínua e permanente, progresso, evolução.
Onde está a glória das alianças quando dedos apontam
direções opostas?! Conceitos hipócritas provocando
dissensões ilógicas.
O meu coração continua no mesmo lugar, fincado onde
meus antepassados o enraizaram... na dignidade de
reconhecer meus erros, de levantar-me ante a derrota
e de jamais acatar traidores e tiranos.
Na crueldade e intolerância dos seres descobri-me
humanamente liberta!...